Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

tvPRIME

Críticas Curtas | 'La Noche del Virgen' (MOTELX 2017)

noche-del-virgen-motelx-banner.jpg

 

Pode dizer-se que 'La Noche del Virgen', a primeira longa-metragem do realizador espanhol Roberto San Sebastian, é uma comédia de terror um pouco diferente do habitual. Uma inversão de géneros apresentada de forma macabra e nada súbtil.

 

A comédia – que se mantém ao longo de todo o filme de forma consistente – é das poucas coisas que ajudam o espectador a manter a boa disposição. Isto porque o horror toma formas grotescas, onde cada acção parece querer superar o choque que a cena anterior causou. Situações e elementos do nosso dia-a-dia que causam repulsa, são expostos sem qualquer tipo de pudor ou preconceito, tornando esta numa das comédias de terror mais originais dos últimos tempos.

 

'La Noche del Virgen' é divertido, chocante, cómico e levado a extremos, o que o torna único mas que dificilmente vai agradar às massas – principalmente a quem é mais impressionável. É um filme que não se esquece, mas que dificilmente se vai querer ver de novo.

 

 

4star.gif

 

Críticas Curtas | 'Happy Hunting' (MOTELX 2017)

happy-hunting-motelx-banner.jpg

 

'Happy Hunting' é um perfeito exemplo de estilo sobre substância. Uma cinematografia esplendorosa, onde inúmeras imagens enchem o ecrã com belos momentos de arte, e onde se usa (e abusa) da "hora mágica". No que toca à estória, a mesma é da espessura de uma folha de papel. Sabemos o que motiva o protagonista a mover-se do ponto A ao B, mas sem qualquer informação adicional. Não existe um desenvolvimento (necessário) das personagens, o que as torna unidimensionais e vazias. Essa total ausência de contéudo cria um afastamento no espectador, que observa um mero espectáculo de acções e reacções, sem se preocupar minimamente com os objectivos do protagonista.

 

Um filme é habitualmente composto por várias partes, desde o elenco (que aqui faz o possível com o que lhe é dado), ao argumento, à visão do realizador e o respectivo orçamento para conseguir tornar essa visão uma realidade. Aqui existiu somente a concretização de uma delas, a visão, o que acaba por transformar 'Happy Hunting' num filme que não fica na memória por muito tempo.

 

2star.gif

 

Destaques da 21.ª edição do Festival Queer Lisboa

queer-lisboa-21-banner.jpg

 

A 21.ª edição do Queer Lisboa – Festival Internacional de Cinema Queer realiza-se de 15 a 23 de setembro no Cinema São Jorge, com a exibição de 90 filmes oriundos de 32 países.

 

A retrospetiva deste ano é dedicada à artista multimédia Shu Lea Cheang, e tem lugar no Cinema São Jorge e no MNAC – Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado. O filme 'God’s Own Country', do britânico Francis Lee, é o escolhido para a Noite de Abertura do Queer Lisboa 21, enquanto que 'Mãe Só Há Uma', de Anna Muylaert, encerra o Festival.

 

Na Competição de Longas-Metragens destaque para 'As You Are', que em 2016 valeu a Miles Joris-Peyrafitte o prémio Especial do Júri em Sundance; 'Beach Rats', que este ano deu à cineasta Eliza Hittman o prémio de Melhor Realização, também em Sundance; 'The Beach House', primeira longa-metragem do libanês Roy Dib; 'Los Objetos Amorosos', de Adrián Silvestre, que se foca nas migrações e identidades sexuais na Europa de hoje; 'Pieles', de Eduardo Casanova, que retrata a forma como a aparência física nos condiciona na sociedade; e 'Close-Knit', da japonesa Naoko Ogigami.

 

Para a Competição de Documentários destaque para 'Abu: Father', a autorrepresentação da família fragmentada de um cineasta muçulmano, paquistanês e gay, Arshad Khan; 'Homogeneous, Empty Time', de Thunska Pansittivorakul e Harit Srikhao, que dá uma visão queer das realidades sociais e politicas da Tailândia; 'Au-delà de l’Ombre', de Mezni Hafaiedh, expõe a realidade tunisina e os efeitos de uma sociedade homofóbica num grupo de jovens; 'My Mother is Pink', primeiro documentário da jornalista Cecilie Debell, é um road movie sobre uma relação conturbada entre um filho e a sua mãe; e 'The Strangest Stranger', de Magnus Bärtås, onde conhecemos melhor o homem que inspirou Haruki Murakami no seu popular romance Kafka à Beira Mar.

 

'It' bate recordes de bilheteira nos Estados Unidos

it-banner.jpg

 

O adaptação do best seller de Stephen King, 'It', bateu recordes nos Estados Unidos ao obter 117 milhões de dólares no fim de semana de estreia – aumentando para 179 milhões se contarmos com o box office mundial. Um recorde para um filme de terror para maiores de 18 anos, estreado em Setembro.

 

Para além disso, 'It' é já o quinto filme de terror para maiores de 18 mais rentável de sempre – e com apenas três dias de exibição. Com estes números, tudo indica que ultrapassará 'The Blair Witch Project', que ocupa a terceira posição com 140 milhões.

 

Um enorme triunfo, para um filme que teve um orçamento de apenas 35 milhões de dólares. A estreia do segundo capítulo está prevista para o decorrer de 2019.

 

Os vencedores do Festival MOTELX 2017

thursday-night-motelx-banner.jpg

 

A 11.ª edição do MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa chegou ao fim este Domingo com a habitual entrega dos prémios.

 

'Thursday Night' de Gonçalo Almeida é o grande vencedor do Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent 2017. O júri composto pela actriz Maria João Bastos, o músico Carlão e o realizador Can Evrenol decidiu atribuir o prémio a esta curta-metragem “pela história, pela direcção, pela fotografia e pelos actores”, acrescentando que se trata de “um filme que nos marcou muito, que consideramos único e que certamente ficará na nossa memória”. Uma história de fantasmas só com animais, 'Thursday Night' foi inspirado pelo álbum 'Thursday Afternoon' de Brian Eno. O júri decidiu ainda atribuir uma Menção Especial a 'Depois do Silêncio' de Guilherme Daniel, cujo trabalho de “argumento e fotografia” considerou “muito promissor”.

 

Na competição internacional, 'Cold Hell' de Stefan Ruzowitzky venceu o Prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia /Méliès d’Argent 2017. Uma decisão que o júri composto pelo crítico Kim Newman e os actores Rogério Samora e Iris Cayatte considerou “clara” devido à sua “relevância contemporânea, acção emocionante e imaginativa e excelentes performances de todo o elenco”. 'Cold Hell' é um thriller político passado numa Alemanha multicultural que conta a história de uma jovem taxista de origem turca perseguida por um assassino em série. “Filme excepcional que combina elementos do serial killer thriller com o terror”, esta é a mais recente longa-metragem de Ruzowitzky, que em 2008 venceu o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro com 'The Counterfeiters'. O realizador e a actriz Violetta Schurawlow estiveram presentes na Sessão de Encerramento do MOTELX para receber o Prémio.

 

A competição de longas-metragens europeias foi inaugurada em 2016 e teve este ano oito filmes a concurso. 'Cold Hell' sucede ao checo 'The Noonday Witch' de Jirí Sádek e fica nomeado para o Prémio Méliès d’Or, à semelhança da curta 'Thursday Night'.

 

Os vencedores do Festival de Veneza 2017

festival-veneza-logo.jpg.jpg

 

Os vencedores da 74.ª edição do Festival de Veneza foram anunciados este Sábado. O grande vencedor foi 'The Shape of Water', de Guillermo del Toro, ao arrecadar o Leão de Ouro. O Grande Prémio do Júri foi para 'Foxtrot', de Samuel Maoz, enquanto que o prémio de Melhor Realizador foi entregue a Xavier Legrand, por 'Custody'.

 

COMPETIÇÃO VENEZA 74

 

Leão de Ouro
'The Shape of Water', de Guillermo del Toro

 

Leão de Prata (Grande Prémio do Júri)
'Foxtrot', de Samuel Maoz

 

Leão de Prata (Melhor Realizador)
Xavier Legrand, por 'Custody'

 

Coppa Volpi para Melhor Actriz
Charlotte Rampling, em 'Hannah'

 

Coppa Volpi para Melhor Actor
Kamel El Basha, em 'The Insult'

 

Melhor Argumento
Martin McDonagh, por 'Three Billboards Outside Ebbing, Missouri'

 

Prémio Especial do Júri
'Sweet Country', de Warwick Thornton

 

Prémio Marcello Mastroianni para Melhor Jovem Actor/Actriz
Charlie Plummer, em 'Lean on Pete'

 

 

HORIZONTES

 

Melhor Filme
'Nico, 1988', de Susanna Nicchiarelli

 

Melhor Realizador
Vahid Jalilvand, por 'No Date, No Signature'

 

Prémio Especial do Júri
'Caniba', de Véréna Paravel e Lucien Castaing-Taylor

 

Melhor Actriz
Lyna Khoudri, em 'Les bienheureux'

 

Melhor Actor
Navid Mohammadzadeh, em 'No Date, No Signature'

 

Melhor Argumento
Alireza Khatami, por 'Los Versos Del Olvido'

 

Melhor Curta-Metragem
'Gros Chagrin', de Céline Devaux

 

Prémio Leão do Futuro
'Custody', de Xavier Legrand

 

Críticas Curtas | 'Super Dark Times' (MOTELX 2017)

super-dark-times-motelx-banner.jpg

 

'Super Dark Times', filme que abriu o Festival MOTELX 2017, é um astuto estudo sobre a perda da inocência, excelentemente interpretada por um elenco maioritariamente jovem.

 

Com uma bela cinematografia e uma narrativa que se vai desenvolvendo a um ritmo lento (mas nunca aborrecido), este forte thriller demonstra de forma honesta (e por vezes assustadora) tensões e angústias de um grupo de amigos, onde um incidente muda as suas vidas para sempre.

 

O que sobressai neste filme é o seu investimento emocional, causado por um retrato da adolescência que parece tudo menos artificial. Uma narrativa que se desenvolve de forma harmoniosa e natural – excluindo alguns detalhes do último acto, onde parece existir a necessidade de nos (re)lembrar o género em se insere.

 

Comparado por muitos como uma mistura entre 'Donnie Darko' e 'Stand By Me', 'Super Dark Times' é um excelente thriller que se desenvolve de forma inesperada e emotiva, criando uma fácil empatia entre o espectador e as personagens.

 

4star.gif

 

Críticas Curtas | 'The Endless' (MOTELX 2017)

the-endless-motelx-banner.jpg

 

'The Endless' é o terceiro filme da dupla Justin Benson e Aaron Moorhead, regressando aqui à mitologia que abordaram no seu primeiro filme, 'Resolution'.

 

Apesar de não poder competir com os blockbusters de ficção cientifica (no que toca às capacidades financeiras), este desafia a imaginação do espectador. Uma mescla perfeita entre o drama e o sobrenatural, com uma narrativa que se assemelha em alguns aspectos a projectos como 'Another Earth' ou 'The OA'.

 

O que começa como um drama sobre a relação de dois irmãos, e a forma como ambos lidam com a vida após sobreviverem a um culto, cedo se transforma numa visão amplificada sobre a mortalidade e os comportamentos humanos face ao desconhecido.

 

Este "obriga" o espectador a ter uma mente aberta e inquisidora, de forma a disfrutar de uma excelente experiência, provando que não são necessários milhões de dólares em efeitos visuais, mas sim uma estória construida capazmente.

 

4star.gif

 

'Jogo Perigoso' – Primeiro trailer da adaptação do livro de Stephen King

geralds-game-banner.jpg

 

A Netflix disponibilizou o primeiro trailer de 'Jogo Perigoso' ('Gerald’s Game'), a adaptação do livro de Stephen King.

 

'Gerald’s Game', cujo livro em Portugal tem o título 'O Jogo de Gerald', relata-nos a história de uma mulher que mata acidentalmente o seu marido depois de ter sido algemada a uma cama. Com o passar do tempo ela apercebe-se que não se conseguirá libertar, o que desencadeia uma lenta espiral para a insanidade.

 

O elenco é composto por Carla GuginoHenry ThomasBruce Greenwood e Kate Siegel. A realização está a cargo de Mike Flanagan ('Hush', 'Ouija: Origin of Evil', 'Oculus'), com argumento escrito em parceria com Jeff Howard.

 

'Jogo Perigoso' ficará disponível no site de streaming Netflix a partir de 29 de Setembro.